7 perguntas que todo síndico deve fazer antes de contratar uma administradora de condomínios

7 perguntas que todo síndico deve fazer antes de contratar uma administradora de condomínios

Já faz algum tempo que ser síndico passou a ser uma tarefa um pouco mais suave. Desde a entrada em vigência, em 2003, do novo Código Civil, os síndicos estão autorizados a contratar uma administradora de condomínios, podendo transferir a ela tanto as funções administrativas como os poderes de representação, desde que aprovado em assembléia pelos condôminos (art. 1.348, § 2° do novo Código Civil).

Essa possibilidade beneficiou em muito os condomínios. Afinal, não há como negar que uma administração eficiente, feita por especialistas, tem a capacidade de identificar desperdícios e até mesmo gerar economia para os custos dos moradores, além de atenuar o peso nas costas do síndico.

No entanto, já acompanhamos inúmeros casos em que esse alívio de peso foi por água abaixo. Infelizmente, em nosso segmento existem muitas empresas inexperientes, oferecendo propostas inexequíveis a um valor descolado da complexidade envolvida na prestação do serviço. A Casa do Síndico tem atuado há mais de 20 anos nesse segmento e neste artigo, utilizamos nossa expertise no assunto para fazer um alerta aos síndicos e moradores. Compartilhamos com você 7 perguntas que você deve fazer antes de contratar uma administradora de condomínios.

1) Essa empresa tem capacidade de cumprir tudo o que está prometendo?

Infelizmente tem muita empresa fazendo grandes promessas sem ter a estrutura e o know how necessário para executar sua proposta. Mas como saber se é esse o caso? A melhor forma de sentir mais confiança neste aspecto é visitando as instalações da empresa, conhecendo sua estrutura e verificando algumas questões. Pergunte o tempo de operação da empresa no segmento e conheça sua história. Investigue a formação profissional dos sócios, o suporte técnico administrativo que ela promete entregar e o clima entre os colaboradores. Conheça o suporte oferecido nas áreas jurídica e de engenharia de manutenção. Questione a administradora sobre seus processos, como costuma atender e qual o grau de tecnologia que é capaz de empregar na prestação de seus serviços. Solicite disponibilização do modelo de pasta de prestação de contas que a administradora costuma emitir aos condomínios assessorados. Empresas capazes de cumprir o prometido já percorreram um longo caminho de aprendizado para chegar a tal nível de credibilidade. Escolha a que te transmite essa percepção de valor.

2) O preço que está cobrando pelo serviço está coerente com o pacote de serviços que oferece?

Não basta tomar um certo número de orçamentos e escolher o melhor preço. O mais importante, na verdade, é analisar o custo benefício que cada empresa oferece. Compare entre si os pacotes de serviços que as administradoras oferecem e o valor que cobram por isso. Provavelmente você verá que existe um padrão médio de valores cobrados. Quando houver um preço muito destoante desse padrão, acompanhado de uma promessa de serviços muito alta, desconfie! Tenha sempre em mente que oferecer um serviço de qualidade “dá trabalho”, e quem trabalha bem busca por uma recompensa justa pelo seu serviços. Quando o assunto é a administração do condomínio, tenha uma certeza: “o barato pode sair muito caro”. Uma administradora que cobra um valor que não cobre seus custos provavelmente terá problemas para pagar seus próprios funcionários, o que gerará passivos trabalhistas. E, ao contrário do que muitos pensam, nestes casos a responsabilidade subsidiária recai sobre o condomínio e, consequentemente, sobre o síndico!

3) O que os síndicos e condomínios assessorados falam sobre a administradora?

Antes de assinar o contrato, não tenha medo de exigir uma lista de contatos de síndicos e endereços de condomínios administrados pela empresa. Entre em contato com os síndicos, investigue o que acham do serviço. Se possível, dirija-se a alguns condomínios administrados pela empresa e converse com os funcionários. Essa é uma das melhores formas de atestar que você está colocando seu condomínio nas mãos de uma equipe realmente competente.

4) A administradora me muniu de todas as informações que preciso saber sobre o execução do contrato?

A taxa de administração é aplicada sobre despesa ou sobre receita? O que é mais conveniente para o meu condomínio? A administradora será responsabilizada pelo pagamento de multas decorrentes do não recolhimento do FGTS dos colaboradores ou outros encargos no prazo estipulado? O dinheiro do condomínio fica na conta bancária da administradora ou cada condomínio tem sua conta bancária própria? Qual o sistema de cobrança da administradora no caso de inadimplência? A administradora tem advogado próprio? Todas essas, e muitas outras perguntas, devem ser respondidas pela administradoras antes de assinar os papéis. Mais do que isso, tudo o que foi proferido deve estar em contrato. Certifique-se de que todas as informações importantes foram esclarecidas e aí sim prossiga com a contratação.

5)Se eu quiser contratar uma administradora de condomínios diferente, qual o ônus da quebra de contrato?

Esteja seguro sempre de quais são suas opções caso queira rescindir o contrato. Geralmente, exige-se um aviso prévio usualmente fixado 30 (trinta) a 60 (sessenta) dias. Esteja seguro de que essas informações estão no contrato a ser assinado.

6)Estou mesmo disposto a confiar tudo o que mais amo a essa empresa?

Contratar uma administradora de condomínios é pauta de assembléia geral e ocorre com aprovação dos condôminos. Entretanto, o maior peso da escolha segue sendo do síndico, que terá de responder nas instâncias cabíveis se houver algum problema indesejado. O desafio maior é o da confiança. Os moradores do condomínio estão confiando ao síndico o que possuem de mais importante: a segurança e bem-estar de sua família. E o síndico, por sua vez, deverá estabelecer o mesmo vínculo de confiança com a administradora. E então? Está mesmo disposto a confiar tudo o que mais ama a essa empresa?

7) A empresa possui credibilidade em seu segmento? Busque uma empresa certificada!

No Distrito federal, dê preferência a empresas que possuem o Selo de Certificação de Qualidade. O selo é uma iniciativa desenvolvida pelo SINDICONDOMINIO-DF em parceria com a ASPRECON-DF e a SEICON-DF. Tem por objetivo assegurar tranquilidade e qualidade aos contratantes de serviços terceirizados no mercado privado do DF e entorno. Se você reside em outro Estado, verifique mecanismos do mesmo estilo formulados pelos sindicatos do segmento em sua região.

Como dissemos acima, quando ao assunto é o bem-estar daquilo que mais amamos, nosso padrão de exigência tem de ser o mais alto possível. Qualquer dúvida, entre em contato com a assessoria condominial da Casa do Síndico.

2017-10-24T14:40:44+00:00 setembro, 2017|Assessoria Condominial, Terceirização de Serviços|